25 de novembro de 2020 - 03:01

? ºC Cuiabá-MT

Destaque

22/11/2020 19:27

'Melhor ir para um partido que atenda sua vontade', diz João Batista sobre insatisfação de Oscarlino

Após o PROS declarar apoio a Abílio Junior (PODE) no segundo turno das eleições municipais e decepcionar o sindicalista Oscarlino Alves, o presidente do partido e deputado estadual João Batista (PROS) afirmou que, quando uma pessoa não está satisfeita em uma sigla, deveria “ir para um partido que atenda à sua vontade”. João ainda afirmou, categoricamente, que se for da vontade de Oscarlino, ele deveria sair do PROS.

Na última quinta-feira (19), no mesmo momento em que o PROS anunciava o apoio à Abílio, Oscarlino participou de uma reunião com cerca de vinte líderes de sindicatos e o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), na sede do Sindes. Oscarlino, que foi candidato a vereador pela sigla, afirmou que a decisão do partido por este apoio foi unilateral, e seguiu caminho oposto ao que os servidores queriam.
 
Nesta sexta-feira (20), após inauguração da ala 6 da Penitenciária Central do Estado, João Batista, que foi por anos presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen), rebateu a crítica. “Não existe nenhum partido que tenha verdadeiramente alinhamento de todos os seus membros. Já tive contato com vários partidos políticos, sempre tem um ou outro que não concorda com a opinião do outro, e o correto é exatamente isso. Se eu não estou satisfeito num partido, eu acho que a direção do partido não é aquela que eu esperava, com certeza [o melhor] é você ir para um partido que atenda à sua vontade”, disparou.
 
A respeito da repercussão nas redes sociais da decisão do PROS, e principalmente de Gisela, em apoiar Abílio, o deputado minimizou as críticas, e afirmou que quem concorda geralmente não se pronuncia. Ele ainda fez questão de afirmar que não houve nenhum acordo com o candidato a prefeito por possíveis cargos em sua gestão.

“Eu participei de algumas reuniões entre Abílio e Gisela. Em nenhum momento foi discutido questão de cargo ou participação no governo. Agora, é claro que quem ganha o governo, se o Abílio ganhar o governo municipal, por exemplo, ele vai precisar de uma equipe competente para ajudar a governar. E obviamente quem tiver currículo vai apresentar. Mas com Gisela e com o PROS não ficou acordado nem discutido nada sobre cargo ou participação no governo”, declarou.


Copyright  - A Noticias de HJ - Todos os direitos reservados  - contato@noticiasdehj.com.br