08 de julho de 2020 - 04:51

? ºC Cuiabá-MT

Destaque

26/06/2020 10:50

Deputado desabafa sobre perigo de faccionados invadirem penitenciária e pede muro antes de inauguração

Novamente o alerta sobre facções criminosas estarem tomando o estado de Mato Grosso voltou à tona em uma discussão entre o Governo do Estado e Assembleia Legislativa. O deputado João Batista (Pros) alertou sobre um possível alvo dos grupos criminosos. 

A Penitenciária de Várzea Grande, que está para ser inaugurada, mesmo sem muro em volta da unidade, chama atenção do parlamentar, por deixar vulnerável a vida dos policiais penais e outros servidores do sistema penitenciário.


Na foto acima, é possível ver o governador vistoriando o local ao lado do secretário e as grades que ficam no entorno do presídio, que é  fechado apenas com grades de alumínio


O deputado, que é policial penal de carreira, alertou o secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, e disse que o local pode ser o primeiro alvo dos criminosos que estudam fazer resgate de presos ou ajudar em possíveis fugas em massa. 


“Tenho contato com outros setores da Segurança Pública de Mato Grosso, e a situação é muito mais delicada do que aparenta. Ingressei com uma ação na Justiça contra esta inauguração. Os criminosos daqui estão fortemente armados, têm fuzis, pistolas com alto poder de fogo e acesso a um material bélico completo. Fazer a inauguração da forma como está, é o mesmo imputar aos servidores a decisão se comete, ou não, suicídio”, disse.


Na mesma oportunidade, João Batista mencionou a decisão da juíza Célia Regina Vidotti, que negou a ação impetrada pelo parlamentar e trata da reabertura das cadeias públicas no interior do Estado, assim como a inauguração da nova unidade em Várzea Grande.


"Nosso corpo jurídico já está tomando as devidas providências. Acredito que a complexidade da pauta vai muito além da nomenclatura escolhida, se trata, ou não trata, de uma Ação Popular (manifestação protocolada pelo deputado e negada pela juíza). O fato é que este Governo está depredando o sistema penitenciário e colocando em risco a vida dos servidores”.


Rebatendo a fala de Bustamante, na qual o secretário ameniza a situação e afirma que irá “selecionar” os reeducandos que serão transferidos, Batista disse que esta é apenas uma “utopia” da Secretaria de Segurança e que não faz parte da realidade de Mato Grosso.


“O criminoso daqui é um criminoso faccionado, com alto grau de periculosidade. Temos relatos de ataques às viaturas da Polícia Militar, principalmente em Várzea Grande, que são recebidos com tiro de fuzil. Dito isso, vamos insistir em construir alambrados? Eu conheço o sistema penitenciário do estado, já são 16 anos de experiência. Já posso até adiantar o que vai acontecer, o Governo vai inserir meia dúzia de presos para inauguração, mas daqui seis meses terá de mil a mil e quinhentos detentos, por isso digo que tudo não passa de uma utopia”, finalizou João Batista.


Copyright  - A Noticias de HJ - Todos os direitos reservados  - contato@noticiasdehj.com.br