08 de julho de 2020 - 03:36

? ºC Cuiabá-MT

Cidades

27/06/2020 08:50

No 1º dia de lockdown, 80% do comércio de Cuiabá abre; em VG só 10% funciona

Comerciantes abriram lojas antes do prefeito anunciar que iria cumprir decisão judicial

O primeiro dia de quarentena coletiva teve descumprimento das medidas de isolamento social por parte dos comerciantes. Conforme a determinação do juiz José Luiz Lindote, da 1ª Vara Especializada de Fazenda Pública de Várzea Grande, uma oficial de Justiça percorreu ruas e avenidas da capital e da Cidade Industrial nesta quinta-feira (25) para verificar o cumprimento da quarentena coletiva. 

O relatório foi publicado na tramitação do processo nesta sexta-feira. De acordo com o relatório apresentado pela oficial de Justiça, em Cuiabá, boa parte do comércio não essencial funcionou. Ela percorreu avenidas e ruas do cairro CPA, e na região centraç a rua Treze de Junho e avenida da Prainha, além da avenida 15 de Novembro, no Porto.

Constatei que aproximadamente oitenta porcento dos estabelecimentos comerciais estavam com portas abertas e com fluxo de pessoas entrando e saindo dos estabelecimentos", relatou. 

Com relação a Várzea Grande, a oficial de percorreu apenas a Avenida Couto Magalhães, principal corredor comercial da cidade, onde constatou que 10% dos estabelecimentos comerciais estavam com as portas abertas e pouco fluxo de pessoas, nessa região da cidade. Ela apresentou fotos da movimentação.

Uma das possibilidades para o alto movimento na Capital é de que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) recorreu da decisão do juiz de 1ª instância na noite de quarta-feira. A decisão, negando o pedido do gestor, ocorreu apenas na manhã de quinta. Foi então que o chefe do Executivo editou decreto acatando as medidas judiciais.

Já Várzea Grande, anunciou que estaria cumprindo a decisão judicial na tarde de quarta-feira. Ou seja, os comerciantes já sabiam que não poderiam abrir as portas na manhã de quinta.

Vale lembrar que na decisão o juiz determinou que, em caso de descumprimento ou irregularidades, o gestor pode ter que pagar multa no valor de R$ 100 mil. 

"Determino, ad cautelam, a realização de diligência de constatação, devendo o oficial de Justiça descrever promenorizadamente as condições e a movimentação em Várzea Grande e Cuiabá, no tocante ao cumprimento da decisão judicial quanto a quarentena obrigatória, de tudo sendo lavrado auto circunstanciado. Cumprido o determinado, volvam-me conclusos", destacou o magistrado.



Copyright  - A Noticias de HJ - Todos os direitos reservados  - contato@noticiasdehj.com.br